E-Commerce – Como Evitar Fraudes

5 Dicas de Como se Precaver Contra Fraude em E-Commerce.

Toda vez que uma inovação em comércio eletrônico (e-commerce) é anunciada, os consumidores enfrentam um novo risco de segurança.

O e-commerce não está apenas o aumentando, está evoluindo. A taxa exponencial de crescimento do e-commerce ultrapassou em muito as medidas de segurança convencionais estabelecidas para regular adequadamente o comércio on-line e evitar fraudes de identidade do consumidor.

Toda vez que uma inovação no e-commerce é lançada, a mesma representa um novo risco de segurança para os consumidores. Estima-se que somente em 2013 as vendas no e-commerce nos EUA deverão crescer 12 por cento e as vendas de e-commerce em todo o mundo estão projetadas para bater 1.298 trilhões de dólares este ano, e o ônus de determinar como realizar transações com segurança on-line caiu mais pesado sobre o consumidor individual.

O consumidor de hoje é confrontado diariamente por um labirinto de diferentes oportunidades de comércio on-line, escolhas e decisões, nenhuma das quais estavam disponíveis ou mesmo eram imagináveis há 20 anos atrás.

O E-commerce está ganhando cada vez mais força e aceitação; porém atividades on-line antes consideradas de risco, como as bancárias são agora consideradas métodos seguros e confiáveis, mesmo assim, métodos populares usados para acessar informações sensíveis podem apresentar sérios riscos de segurança on-line.

A maioria dos consumidores aceitam facilmente termos e condições, sem pensar duas vezes, comprometendo o anonimato e privacidade online. Apesar de o comércio on-line apresentar riscos de segurança, os benefícios para o consumidor de e-commerce superam um possível retorno às compras tradicionais em uma loja comum. Afinal, dirigir para o shopping apresenta o risco de um acidente de carro, passar um cartão de crédito no check-out nos coloca em risco de clonagem de cartões de crédito.

Haverá sempre riscos, mas como o mundo do e-commerce evolui, devemos abraçar esta indústria dinâmica e manter as cinco dicas fundamentais de segurança seguintes em mente.

1. Compartilhar com Cuidado

Compartilhe somente o que é necessário.

Você nunca deve compartilhar mais do que é absolutamente necessário, as informações pessoais particularmente as altamente sensíveis, tais como números do seu seguro social ou carteira de motorista.

Algumas informações dos formulários criados pelas revendedoras possuem campos para coleta de informações que são irrelevantes para aprovar uma compra. O objetivo é coletar dados para uso em marketing, portanto só preencha os campos que são marcados como requeridos.

Procure pular as questões que não são marcadas como “necessárias” geralmente marcadas com um asterisco e você vai melhorar significativamente o seu anonimato nas compras.

Pense antes de deixar alguém usar seu smartphone, tablete ou computador.

Repense como você compartilha livremente os seus dispositivos que você usa para fazer compras on-line. Se você tiver um aplicativo como o de carteira digital (digital wallet) não é a melhor ideia deixar um estranho usar seu telefone para fazer uma chamada.

Se você manter-se conectado em sites de compras em seus dispositivos de casa, basta pedir que o seu convidado use um navegador ou conta diferente. Considere qualquer dispositivo que você usa para fazer compras com se fosse sua carteira de bolso. Compartilhar sem pensar duas vezes ou tomar precauções básicas é estar pedindo para ter um problema mais adiante.

O cuidado extra é recomendado se você usar seu telefone celular para qualquer atividade e-commerce. Telefones desbloqueados geralmente não são adequados para fins de comércio seguro por causa dos downloads maliciosos devido à falta de recursos de segurança confiáveis.

Evite armazenar nomes de usuário, senhas, números bancários e outras informações confidenciais em seu telefone, incluindo dentro de aplicativos assumindo serem secretas. Se o e-mail é conectado ao telefone, nunca enviar informações altamente sensíveis a outros, ou mesmo para si mesmo.

Trate o seu telefone como o seu cartão de crédito, se for perdido ou roubado, um dos primeiros passos para reduzir os danos colaterais deve entrar em contato com sua instituição financeira ou fornecedor do cartão de crédito. Além disso, se você comprar ativamente em um dispositivo móvel, você pode querer considerar um gerenciador de senhas, ou outra ferramenta de segurança móvel para proteção avançada.

Redes sem fio (Wi-Fi) aberta = rede insegura

Como regra geral, assuma que todas as redes Wi-Fi compartilhadas ou abertas não são seguras para seus dados sensíveis. Tudo a partir de um extrato bancário on-line para uma conta do Gmail pode ser comprometida quando a navegar na Web em uma rede Wi-Fi compartilhada.

É quase impossível de medir com precisão o quão segura uma rede Wi-Fi possa ser, assim, é melhor errar do lado da cautela. Você também quer garantir que você não está conectado a uma Wi-Fi compartilhada ao fazer transações móveis.

Senhas de rede guardados dentro de suas configurações do telefone irão automaticamente se conectar a redes Wi-Fi usadas anteriormente sem qualquer notificação. Como precaução, é melhor desativar Wi-Fi no seu telefone antes de iniciar qualquer tipo de transação móvel.

2. Verifique todas as URLs

Verifique URLs para conexões seguras

Compradores on-line regulares sabem verificar URLs de segurança “https” ao fazerem suas transações, mas muitos não sabem. Em cada etapa do processo de compra, o URL do site deve ser criptografada, ou seja, ler “https” em vez de “http”. Também é importante verificar se há “https” ao fazer compras na web móvel. Compras móveis proporcionam a facilidade de uso e conveniência, tornando-se ainda mais importante tirar o tempo necessário para verificar a segurança da URL.

Use URLs para verificar a legitimidade do site Verificar URLs é especialmente importante para decifrar a legitimidade dos locais encontrados por meio de anúncios e hiperlinks. Qualquer link apresentado em um e-mail, comentário de mídia social, ou propaganda pode levá-lo a um site fraudulento.

Para piorar a situação, os sites fraudulentos muitas vezes são praticamente indistinguíveis dos sites legítimos. Independentemente de como você chegou a um site ou quanto confiável lhe possa parecer, examine a URL. Você não precisa entender todas as partes, mas se o nome do domínio raiz (a parte depois “www.”) não coincide com o conteúdo do site, a recomendação é que você procure outro site mais confiável.

3. Perguntas a fazer antes de comprar.

Questione cada site.

Uma das maneiras mais fáceis de evitar fraudes on-line é garantir que você está comprando de sites legítimos. Além de verificar a validade da URL, um processo de duas etapas simples ajudarão a assegurar se o site é autêntico. Para tanto siga estes passos importantes:

  • Primeiro, verifique se o site que você pretende fazer a compra tem uma seção de “Fale Conosco”, uma página válida “Sobre nós” com informações de contatos listadas.
  • Em segundo lugar, confirmar se a empresa tem algum tipo de presença na mídia social. Terceiro, ligue para o telefone de contato da empresa antes de fazer a primeira compra. Se eles não responderem quando querem lhe vender, quem lhe garante que responderão se houver um problema com entrega, extravio ou outras questões que possam surgir?
  • Pesquise o domínio do site no Google. Se tiver Twitter, Facebook e / ou contas do Linked In. Empresas genuínas terão contas sociais ativas e uma conversa on-line (Chat) para os consumidores, ao passo que sites fraudulentos são propensos a mostrar os resultados do Google com queixas de consumidores, alertas do BBB, ou outras indicações de fraude.
  • Registre todos os detalhes da compra Após cada compra, assegure-se que você tenha uma prova de que a transação ocorreu normalmente. Você deve sempre receber um número de confirmação ou recibo enviado por e-mail juntamente com as informações de rastreamento de remessas.
  • Guarde todos os recibos e números de confirmação, juntamente com uma cópia das informações de contato do site. Se você estiver incerto sobre uma transação depois de a haver concluído, faça a captura de tela da página de confirmação e todas as informações pós-compra que você receberá na tela. Em computadores Windows, use a tecla Print Screen para fazer uma captura de toda a tela. Capturas de tela permitem que você salve detalhes que você ainda não sabe que você precisa, como caixa com opções marcadas para pagamentos automáticos ou ativações de membresia. Em geral, quanto mais documentação você tiver, melhor.

4. Mantenha Seus Pagamentos separados das suas contas bancárias

Opte sempre por crédito, nunca faça pagamentos com cartão de débito!

Embora ambos os cartões de crédito e cartões de débito podem ser usados como um método de pagamento de plástico no interior da loja, cartões de crédito são os melhores para fazer compras on-line, graças as ofertas de proteção contra fraudes nas compras on-line.

Quando você paga via cartão de crédito, o pagamento tecnicamente vem da empresa de cartão de crédito como um empréstimo, ao invés de um pagamento monetário descontado diretamente da sua conta bancária.

Quaisquer erros de processamento ou excesso de encargos podem ser facilmente capturados em sua fatura de cartão de crédito, se não mesmo mais cedo, através de medidas de proteção vigentes contra fraudes que é o padrão das empresas de cartões de crédito. E mesmo, os pagamentos com cartão de débito deduzem dinheiro diretamente de sua conta bancária, e podem ser muito mais difíceis de recuperar ou corrigir após o fato. Informações de cartão de débito também são o principal alvo para hackers, uma vez que fornece um caminho mais fácil para acessar e drenar suas contas.

Use cartões de crédito virtuais, conforme necessário

Muitas instituições financeiras e empresas de cartão de crédito oferecem cartões de crédito virtuais (VCC) para determinadas compras on-line. Cartões de crédito virtuais são os cartões de pagamento temporários, quer seja o cartão de plástico propriamente dito ou na forma de um número de cartão de crédito, que são separados de suas informações bancárias.

Este tipo de método de pagamento por cartão de crédito descartável contém uma quantidade de gastos pré-definido, tem uma data de validade mais curta do que o usual, e é equivalente a um cartão de crédito normal para a maioria dos pagamentos.

Pagamentos com cartão de crédito virtuais são normalmente cobrados no seu cartão de crédito ou de débito, ao invés de diretamente em sua conta bancária, essencialmente, oferecendo uma camada adicional de proteção.

Quando você pagar com um cartão de crédito virtual, suas informações bancárias permanecem separada da sua compra individual, garantindo, assim, se o número do cartão for roubado, os hackers não possam acessar suas contas ou voltar a usar o cartão de forma fraudulenta.

5. Você só tem uma identidade on-line, portanto você a deve proteger

Se você acha que não tem uma identidade on-line, você está errado. Tudo que você precisa é de um endereço de e-mail ou uma conta no Facebook, e você já tem uma identidade online formada.

Não importa o quão cuidadoso você seja na esfera de e-commerce, a melhor maneira de se proteger é monitorar a sua identidade online ativamente. Proteja a sua identidade on-line na área social As compras on-line estão ficando mais e mais sociais, com 50 por cento das vendas da Web projetadas para ocorrer através das mídias sociais em 2015.

Cada vez que você entrar em um novo site através da opção de “login com o Facebook”, você está estendendo mais ainda a sua identidade on-line. Na verdade, uma grande quantidade de sites vai primeiro pedir-lhe para se tornar um membro e não mais por e-mail, mas ligando a sua conta de mídia social.

Quando você, em seguida, fizer alguma transação com esses sites de terceiros enquanto estiver conectado via Facebook ou Twitter, você está essencialmente conectando aquela conta com um cartão de crédito.

Seria isso uma conexão direta? Tecnicamente, não. Será que vai ser usado para moldar a sua identidade on-line? Absolutamente. Sua presença na mídia social define a sua pegada digital para o ponto onde as empresas estão buscando usar a sua identidade na mídia social para combater a fraude de pagamento on-line e seus sinais sociais para combater a fraude de identidade em um futuro próximo.

Depois de perceber que a maioria de suas atividades on-line estão interligadas, você pode melhor defender-se de fazer escolhas impensadas que possam pôr em perigo os seus dados. Assim como você não deve postar algo que você não quer que seu patrão possa ver no Facebook, você também não deve postar qualquer coisa que você não quer que um hacker veja, como uma imagem de sua carteira de motorista ou passaporte, qualquer coisa com um endereço residencial e, todos os snapshots que incluem um cartão de crédito visível ou número de cartão de crédito.

Também é inteligente escolher senhas, frases secretas, e respostas a perguntas de segurança que não podem ser derivadas de sua presença social online.

Pr Eddie Fontes

Via: PC Magazine